12 janeiro 2018 - 19:30

TRF4 garante espaço para deputados do PT em julgamento de Lula

Uma comitiva de parlamentares deve ser cadastrada previamente para acompanhar a sessão

O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, recebeu, nesta sexta-feira, um grupo de deputados das bancadas federal e estadual do PT a fim de debater o julgamento, em Porto Alegre, do recurso do ex-presidente Lula à pena que o condena a nove anos e meio de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O deputado federal Paulo Pimenta entregou ao presidente da Corte um ofício pedindo que viabilize um espaço a fim de que as autoridades assistam ao julgamento, no tribunal, via telão, já que a sala de sessão garante acesso somente a advogados e às partes.

O presidente do TRF4 garantiu que o pedido vai ser atendido. Uma comitiva de parlamentares deve ser cadastrada previamente para acompanhar a sessão, marcada para as 8h30min do dia 24.

Os parlamentares vieram ao tribunal para oferecer cooperação à instituição para que as manifestações referentes ao julgamento ocorram de forma pacífica. O deputado e presidente da Assembleia, Edgar Pretto, ressaltou que não existe necessidade de aparato policial com helicópteros e atiradores de elite porque os movimentos sociais não virão a Porto Alegre para qualquer tipo de confronto. Pretto ainda criticou o pedido feito pelo prefeito Nelson Marchezan de presença das Forças Armadas no município.

O presidente do TRF4 agradeceu a oferta de colaboração, mas enfatizou que todos os esforços devem ser feitos para assegurar a tranquilidade e segurança de servidores e apoiadores do ex-presidente Lula.

A vinda de apoiadores de Lula para o dia do julgamento não chegou a ser debatida na reunião, mas a expectativa é que caravanas dos três estados do Sul do país venham a Porto Alegre. Como uma decisão liminar proíbe acampamento no Parque da Harmonia, os integrantes dos movimentos sociais ainda definem locais para acampar. Existe a possibilidade de montagem de um acampamento no Parque Marinha do Brasil.

Fonte:Samantha Klein/Rádio Guaíba