body
11 janeiro 2017 - 17:31

Simers constata falta de profissionais e medicamentos em UPA de Tramandaí

Blitz verificou que falta, inclusive, estoque de AAS

O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) iniciou hoje uma blitz em unidades de saúde do litoral Norte e constatou que a UPA de Tramandaí opera sem o número necessário de profissionais, medicamentos e materiais. Conforme o diretor do Simers, André Gonzales, os salários dos trabalhadores da unidade estão atrasados, não há equipamento para realização de exames como eletrocardiograma e raio-X e remédios em falta no estoque. “Nem AAS eles têm”, disse Gonzales, em referência ao analgésico comumente encontrado em postos de saúde e de pronto-atendimento.

O hospital de Tramandaí e o pronto-atendimento de Imbé também foram visitados, mas nesses locais o atendimento é satisfatório, concluiu o Simers. O sindicato ainda ressaltou que, no hospital, há dificuldades de remoção de pacientes para atendimento e exames em outras cidades, mas “de resto está tudo dentro do esperado”.

Acionada pelo sindicato, a Prefeitura de Tramandaí atribuiu a falta de profissionais e os atrasos em repasses para a UPA a pendências deixada pela gestão passada. Gonzales reforçou que uma reunião com o Município vai ser agendada para discutir a questão mais pontualmente.

Fonte:Ananda Müller/Rádio Guaíba