07 dezembro 2017 - 17:33

Secretário do Planejamento negocia mínimo regional com empresários e trabalhadores

Centrais sindicais pedem correção de 5,5% nas cinco faixas do benefício

Representantes de entidades empresariais e trabalhistas foram recebidos hoje pelo secretário estadual de Planejamento, Governança e Gestão, Carlos Búrigo, para iniciar as negociações em torno do reajuste do salário mínimo regional. O valor atual do piso, na 1ª faixa, é R$ 1.175,15, em vigor desde 1º de fevereiro. data-base para o reajuste anual.

O mínimo regional busca estabelecer um parâmetro que atenda aproximadamente 1,3 milhão de trabalhadores informais ou que pertençam a categorias não contempladas em acordos coletivos para a definição do dissídio.

Além de um reajuste de 5,5%, que tenta reaver a diferença que havia entre o menor piso regional e o salário mínimo nacional em 2002, quando o benefício começou a existir, as centrais sindicais pedem ainda a inclusão de novas categorias e a garantia, em lei, do piso como vencimento mínimo para os servidores públicos do Rio Grande do Sul.

O secretário Búrigo comunicou que o governo vai organizar novos encontros para dialogar com todos em busca de equilíbrio. “Nosso objetivo é ouvir a todos, levando em consideração a situação econômica do Estado, das empresas e dos trabalhadores. Vamos seguir as tratativas para encontrar a melhor solução possível e encaminhar o processo para apreciação da Assembleia Legislativa”, afirmou.

O mínimo regional existe, hoje, em cinco unidades da Federação: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo. Participaram das reuniões de hoje, em Porto Alegre, representantes da Fecomércio, Fiergs, Federasul, CTB, Fecosul, Fetar-RS, CUT-RS, CSB, Dieese, Força-Sindical e UGT.

Fonte:Rádio Guaíba