07 dezembro 2017 - 09:06

Recuo na venda de ações do Banrisul pode gerar novo parcelamento do 13º

Gratificação deve ser dividida em 12 vezes para servidores

 

Banrisul. Foto: Vinicius Roratto / CP Memória

Banrisul. Foto: Vinicius Roratto / CP Memória

O recuo em relação a transação de venda de ações do Banrisul, que ocorreria neste mês, se deu em função da queda no preço de ações do banco e deixa o Executivo em situação ainda mais delicada. A confirmação ocorreu nessa quarta-feira, mas a decisão havia sido tomada durante o fim de semana. A venda de 49% de ações ordinárias da instituição e a adesão ao Plano de Recuperação Fiscal, que também não está avançando em função de exigências da Secretaria do Tesouro Nacional, eram as principais apostas para conseguir pagar pelo menos parte da folha de dezembro e do 13º salário aos servidores. A tendência, agora, no melhor dos cenários, é que, a exemplo do ano passado, a gratificação natalina seja parcelada em 12 vezes.

Segundo integrantes da cúpula do governo, entre os motivos para a queda no valor das ações estão o entendimento, pelo mercado, de que o Banrisul não será privatizado, o que reduziu o interesse de investidores. O mau momento das bolsas de forma geral também teria contribuído para o cenário desfavorável. “Vamos retomar a iniciativa no momento em que o mercado estiver satisfatório.

O governo não irá liquidar ações do Banrisul a qualquer preço. Não seremos irresponsáveis, temos que ter sangue frio”, disse integrante do primeiro escalão à coluna. A cautela em relação ao assunto não se dá por acaso. Se o governo fosse adiante com o leilão e o resultado financeiro da transação não fosse o esperado, levando a um cancelamento por parte do Estado, a operação não poderia ser repetida antes do prazo de seis meses. O governador José Ivo Sartori passou parte da tarde reunido com integrantes da Fazenda analisando cenários financeiros sem a realização da transação, que poderia gerar, segundo estimativa inicial, cerca de R$ 2,2 bilhões.

Fonte:Taline Oppitz