19 maio 2017 - 20:53

PMDB lança nota após campanha de Sartori ser citada pela JBS em delação

Coordenador garante que doações foram legais e declaradas à Justiça Eleitoral

O PMDB do Rio Grande do Sul divulgou nota oficial, na noite desta sexta-feira, ressaltando que as doações recebidas pela campanha de José Ivo Sartori, da JBS, “foram realizadas dentro da legislação vigente”. A comunicação é assinada pelo coordenador financeiro da campanha, João Carlos Bona Garcia.

Em delação premiada, o diretor da JBS, Ricardo Saud, entregou planilha com mais de R$ 500 milhões em doações a candidatos em 2014. Segundo ele, 16 governadores eleitos receberam propina, sendo quatro do PMDB.

“As doações recebidas da empresa JBS pela campanha José Ivo Sartori, em 2014, foram realizadas dentro da legislação vigente, sendo efetivadas através de transferência eletrônica, saindo da conta da empresa diretamente para a conta da candidatura, bem como emitidos os respectivos recibos eleitorais, conforme informações contidas na prestação de contas do candidato e constantes no site do TRE. A origem dos valores foi dada como legal pela empresa”, sustenta a nota do PMDB.

A campanha de Sartori recebeu supostos R$ 1,5 milhão, conforme Saud, com o intermédio do então candidato do PSDB à Presidência da República, o senador Aécio Neves. O diretor sustenta que o repasse partia do tucano porque Sartori era “dissidente” da cúpula do PMDB e, além de não apoiar a candidatura de Dilma Rousseff em 2014, concorria contra o PT no Rio Grande do Sul.

Fonte:Rádio Guaíba e Correio do Povo