21 abril 2015 - 14:32

Guinchos tabelados: Detran sustenta que lei de 85 fixa valor de serviço por média de deslocamento percorrido

Departamento permite que condutores acionem reboques alternativos apenas para retirar carros de depósitos

O Detran-RS sustenta que o valor tabelado para os serviços de guincho em carros com registro de infração leva em conta um valor médio, previsto em lei. Hoje, a diretora técnica da autarquia, Carla Guglielmi, explicou, durante o programa A Cidade É Sua, que como alguns centros credenciados percorrem distâncias maiores para transportar diferentes automotores, em outros o custo é compensado, com o mesmo serviço atendendo corridas curtas. A tabele prevê viagens com valores fixos com distancias máximas de 60 quilômetros para carros e motos (confira abaixo os valores). Em Porto Alegre, existem quatro depósitos regularizados.

Segundo Carla, a legislação está em vigor desde a aprovação da lei 8.109, de 1985. Ela também salientou que trajetos superiores a 60 quilômetros podem ser percorridos em cidades do Interior.

De janeiro a março de 2015, 6.753 veículos com registro de infração de trânsito foram removidos pelos 167 centros de guincho credenciados pelo Detran-RS, só em Porto Alegre. A média é de 73 reboques realizados por dia. A assessoria de imprensa da autarquia explica que, por lei, os serviços devem ser realizados exclusivamente pelos Centros de Remoção e Depósito (CRDs) cadastrados ao órgão de trânsito.

A legislação garante, porém, a possibilidade de o condutor escolher uma empresa de guincho não credenciada, mas apenas nos casos em que o veículo for transportado do depósito regularizado para um outro endereço. Atualmente, o Estado soma 167 Centros credenciados que também não fazem diferenciação entre os custos para deslocamento dentro da mesma cidade e de uma cidade para outra.

Para carros, taxa cobrada é de R$ 216

Em 2015, o valor para se guinchar uma motocicleta ou similar subiu para R$ 172,87 em um raio de até 60 quilômetros. Já a diária para a moto permanecer no depósito é de R$ 17,72. Para carros, o custo da remoção é de R$ 216,08 para até 60 quilômetros rodados. O valor da diária passa para R$ 22,15.

O preço mais salgado fica por conta dos veículos pesados. Nesse caso, o serviço de guincho custa R$ 453,34 rodando por no máximo 20 quilômetros. O preço da estadia no depósito é de R$ 48,56. O adicional por quilômetro rodado para todos os tipos de veículos é de R$ 7,25. O adicional por quilômetro rodado para todos os tipos de veículos é de R$ 7,25.

Além disso, caso os serviços de remoção passem de duas horas, uma taxa adicional para carros e motos é cobrada no valor de R$ 113,33. Para caminhões, o valor sobe para R$ 226,66. Em 2015, houve um acrescimento de mais de 6% nos serviços, em relação ao ano passado.

O valor das taxas dos custos operacionais dos serviços realizados é composto por guinchos, profissionais, prédios, atendentes, entre eles o processamento de informações via sistema (Procergs), além da remuneração do banco pela arrecadação, impostos e remuneração do credenciado.

Fonte:Lucas Rivas/Rádio Guaíba