07 dezembro 2017 - 11:45

Em apenas 5h, chuva ultrapassa média histórica do mês de dezembro em Viamão

Bombeiros e Defesa Civil ajudam famílias ilhadas a sair de casa

Foto: Guilherme Kepler/Rádio Guaíba

Foto: Guilherme Kepler/Rádio Guaíba

Em apenas cinco horas, choveu mais do que a média histórica do mês de dezembro em Viamão, de acordo com a MetSul Meteorologia. Às 10h30 desta quinta-feira, a precipitação já havia acumulado 110 milímetros na cidade da Região Metropolitana.

O temporal começou por volta das 5h de forma torrencial. Houve algumas pausas, contudo foram períodos curtos. Na maior parte do tempo, a chuva foi forte, causando o transbordamento do arroio Feijó, no bairro Augusta, e da Barragem da Lomba do Sabão, no limite entre Viamão e Porto Alegre – dois locais com problemas recorrentes de escoamento da água.

A prefeitura ainda contabiliza os danos causados pelo temporal. Até ao meio-dia, quatro famílias já tinham sido encaminhadas para Escola Municipal Luciana de Abreu, localizada na rua Dário Gonçalves Molho, Parada 18, na Vila Augusta. Não há ainda dados oficiais, mas ao menos seis regiões estão em situação crítica, principalmente os bairros Augusta, Estalagem, Gaúcha, São Lucas, Santo Onofre e Jardim Universitário.

Muitas pessoas pediram ajuda dos Bombeiros para deixar as casas e algumas famílias, perderam todos os pertences devido à invasão da água nas residências. Quase todas as casas da avenida Conquista, no bairro Augusta, registram alagamentos. Conforme a Defesa Civil estadual, mais de 20 famílias estavam isoladas devido às chuvas nesta manhã, mas não havia contabilidade de desabrigados ou desalojados até o momento.

A previsão é de que a chuva permaneça na Região Metropolitana ao longo desta quinta-feira. Mas o sol deve aparecer com nuvens no decorrer do dia, provocando sensação de abafamento.

Doações

Muitas famílias perderam todos os seus pertences e ainda estão necessitando, com urgência, de doação de colchões, alimentos, roupas de todos os tamanhos (adulto e infantil) e fraldas descartáveis. Quem quiser ajudar, pode levar roupas e alimentos nos Cras das regiões. Já os colchões podem ser levados para a Fábrica da Cidadania, na ERS 040, parada 36, atrás da UPA.

Fonte:Correio do Povo