body
19 junho 2017 - 09:59

CUT-RS promove dois atos em Porto Alegre nesta terça-feira

Categoria organiza greve geral no dia 30 de junho

A CUT, centrais sindicais e as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo realizam um Dia Nacional de Mobilização nesta terça-feira. Em Porto Alegre, dois atos estão marcados. Por volta das 5h da madrugada, haverá um mutirão no Aeroporto Internacional Salgado Filho e, às 17h30, acontece uma outra mobilização no Largo Glênio Peres, no Centro da capital.

O ato no Aeroporto visa pressionar os deputados e senadores gaúchos que integram a base do governo para que votem contra as reformas da Previdência e trabalhista. Já a manifestação no final da tarde, no Largo Glênio Peres, tem a intenção de mobilizar a população para a greve geral que está sendo programada para o próximo dia 30 de junho. Além disso, a categoria pede a saída do presidente Michel Temer e realização de eleições diretas já.

Greve Geral marcada para dia 30 de junho

O presidente da Central Única dos Trabalhadores do Rio Grande do Sul (CUT/RS), Claudir Nespolo, afirma que a intenção é promover, no próximo dia 30 de junho, a maior greve geral realizada no país. Ele orienta à população a não sair de casa neste dia.

“No dia 28 de abril, a gente fez uma greve geral muito grande. Houve a maior greve geral dos últimos tempos no Brasil. Mas, lamentavelmente, a classe política não entendeu e continua aprovando as reformas. Então, a gente vai novamente pra estrada para fazer uma greve maior do que a última. Obviamente, nós queremos que as pessoas se conscientizem e não saiam de casa nesse dia. Quando se fala em greve geral é para que os políticos ouçam que o povo é contra as reformas da previdência e trabalhista. Dia de greve geral é um dia totalmente atípico, então não saiam de casa”, afirma o presidente.

Conforme Nespolo, todas as categorias estão se organizando entre essa e a próxima semana para deliberar sobre a participação na greve e definir quais serão as ações que serão realizadas. “Cada sindicato vai deliberar com os seus trabalhadores sobre a adesão ou não e quais serão as formas de participação no protesto”, ressalta.

Segundo as centrais, os principais grupos de trabalhadores que prometem parar são os rodoviários, metroviários, trabalhadores da agricultura familiar, bancários, servidores públicos municipais, estaduais e federais, petroleiros, metalúrgicos, professores da rede pública e privada, portuários, trabalhadores da construção civil e da saúde. A previsão é que haja mobilizações também em rodovias estaduais e federais.

Fonte:Guilherme Kepler / Rádio Guaíba