07 dezembro 2017 - 18:37

Chuva da primeira semana de dezembro supera a média do mês na zona Sul da Capital

Bairro Tristeza recebeu 106,2 mm de precipitação, até as 18h de hoje

O acumulado de chuva registrado no mês em Porto Alegre ultrapassou a média histórica, que é 101,2 milímetros, pelo menos na zona Sul da cidade. De primeiro de dezembro até as 18h desta quinta-feira, a estação automática do bairro Tristeza registra 106,2 milímetros de precipitação. Na Lomba do Pinheiro, o acumulado chega a 91,6 milímetros; no Centro, a 86,6; e no Sarandi, a 71,8.

A chuva que atingiu a Capital a partir das 4h desta quinta-feira, e se manteve por mais de dez horas, tornando-se a mais intensa desde então. A influência do ar quente, úmido e instável, formou cenário propício para chuva forte. O nível do Guaíba era hoje de 85 centímetros. A cota para o alerta de cheia é de 2,10m.

O tempo melhora nesta sexta-feira, e o sol predomina ao longo do dia, apesar de algumas nuvens. O vento permanece calmo, porém da tarde para a noite pode ser moderado ocasionalmente. No sábado, 9, o sol predomina ao longo do dia.

Defesa Civil atende mais de 100 ligações

Após as chuvas, a Defesa Civil da Capital registrou mais de 100 ligações pelo telefone 199. Durante o dia, o Grupo de Ações Preventivas do órgão atendeu ocorrências de queda de árvores e alagamento. Entre os principais registros, destaque para o desabamento de parte de um ginásio em via pública, na rua 6 de novembro, no bairro Alto Petrópolis. A Defesa Civil isolou o local.

Também foram registrados alagamentos de residências na rua Mario Tavares, bairro Agronomia; na Vila Athemis, bairro Mario Quintana, e na Vila dos Coqueiros, bairro Alto Petrópolis.

Na rua Romeu Paliosa, bairro Rubem Berta, diversas casas sofreram inundação. Em uma ação conjunta, a Defesa Civil, a secretaria municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (Smim), o Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) e a Brigada Militar controlaram a situação.

Segundo o coordenador da Defesa Civil, Paulo Ricardo Chies, eventos como esses, que fogem as previsões, devem ocorrer durante todo o verão com chuva rápida e intensa.

Fonte:Rádio Guaíba